BlogBlogs.Com.Br

segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

MEU sapato Italino

Estava eu na internet já faz um tempo...
Quando me deparei com um sapato italiano


Poderia ser uma assim lindo...
vermelho... salto alto... novinho em folha...

Mas não era.


Era usado, confortável e por incrível que pareça eu já tinha esbarrado com ele há mais tempo. Lembro vagamente do contorno, do endereço.
Já o tinha visto e mais nada.


Enfim. lá estava eu: ainda não sabia que seria MEU, que era tão confortável e muito menos italiano, assim a primeira vista era só mais um.
Olhei.
No começo me pareceu interessante pq era italiano e olha que coisa doida, já não bastasse ser do outro lado do Atlântico, lá da Italia, tinha que estar mais longe: um sapato italiano, num mundo árabe!
Que confusão! Não era o mesmo sapato, era outro, eu pensei,
ri muito, achei que tinha trocado os sapatos, línguas diferentes, sabores diferentes, mas os desejos, estes não mudam.

Tenho um lindo sapato italiano.... não... meu sapato
não é bonito... meu sapato é confortável... e MEU, não é vermelho, tem a pele clara, usa óculos, tem seu chame, ainda mais quando o calço e o olho por longo tempo envolto aos meus pés.

Meu sapato tem varias qualidades: é inteligente e sabe que Eu aprecio a inteligência, então o que ele fez?
Não disse que era o melhor sapato do mundo, nem o mais servil, nem o mais confortável.
Nada disto, apenas conversou sobre coisas que me agradam e é claro, o agradam (BDSM) mas não isto, Meu sapato, me cortejou, sem cortejar.
Adulou, sem adular.
Uma Deusa!
Não é assim Meu sapato??? Tua Deusa :)


Meu sapato sabe que não gosto de tudo que lhe da prazer, mas sabe que deve aprender a ter prazer no que me da prazer e se esforça nisto.
Ele percebe que não gosto de uma palavra, uma expressão um gesto, enfim algo, ele procura não repetir e quando não tem como evitar, ele sempre se desculpa pois sabe que eu não aprecio, por menor que seja o gesto.

Meu sapato tem uma qualidade que, junto com a inteligencia, e a submissão é o que mais aprecio e apesar de ser ao obvio na pratica, não é o que se ve.
E é o que vejo a todo instante com Meu sapato:

O MEU PRAZER SEMPRE em 1o. lugar.
E isto não é só uma frase bonita.
É o que vejo a todo instante quando estou com Me sapato.
E varias vezes vi a frustração no rosto dele por achar que não esta me dando todo o prazer que mereço....

Meu doce sapato.... realmente mereço MUITO MAIS.... ahahahahaha
mas tu me da muito prazer.... e de muitas formas... algumas que eu nem imag
inava ;)

Me impressiona a capacidade que meu sapato tem de ficarmos divagando sobre tantos assuntos que podem ir de Dominação a Ilha da Páscoa e por mais envolvente e distante que possa parecer o assunto do Universo BDSM, ele não deixa de estar sob meus pés um só instante que seja, mesmo quando não esta.

Meu sapato tem defeitos, tem sim: como todos os bons e os não tão bons: meu sapato é do gênero masculino e isto por si só, já trás muitos defeitos, risos, trabalha de mais e isto significa que tem tempo de menos, e outros que só interessam a mim :)


Andei exibindo Meu sapato italiano para algumas amigas, as que o conheceram a
provaram meu gosto para sapato italiano.

Quando aceitei Meu sapato, ele e Eu sabíamos que não iria durar alem daquele encontro, no máximo um segundo, por todas as circunstâncias de envolveria uma relação como a nossa.

Ainda tenho um Meu sapato italiano, não sei se vou escrever algo mais sobre ele num futuro.
Tenho tantas historias que achei que tinhas sido enterradas definitivamente na minha vida e que ressurgem a todo instante...

Fico o Meu sapato enquanto for agradável, confortavel e me der muito prazer

eis ai Meu sapato italiano


Lilith Dumm
:)






segunda-feira, 23 de novembro de 2009

Massagem Prostática - artigo

(texto enviado por Key Wife para o site Men in Love)

Massagem Prostática:

Algumas coisas sobre ordenha da próstata:

A técnica de massagem prostática na verdade envolve dois ou três órgãos do aparelho reprodutor masculino: a glândula prostática, as vesículas seminais e as âmpulas, que são os reservatórios que armazena o esperma masculino imediatamente antes da ejaculação. A glândula prostática, quando está cheia, pode ser sentida se pressionarmos o dedo no meio do períneo (atrás do escroto).

É uma protuberância redonda, do tamanho de uma bolinha de gude. Outra forma de acesso é através do reto, por onde pode ser sentida, mais uma vez, como uma massa arredondada na direção da frente do corpo, e fica à distância aproximada de um dedo (indicador) dentro do reto. Uma forma melhor de encontrá-la é inserir o dedo médio e deslizá-lo desde a entrada do reto, para cima, até senti-lo passar sobre uma bola. Ali está a próstata. Logo atrás (no caso, acima) da próstata está um nódulo menor, de forma grosseiramente triangular, como uma cunha, que é a porção inferior das vesículas seminais, que são um pouco maiores. É nelas que a maior parte do fluido ejaculatório fica armazenado. Sob as vesículas estão as âmpulas.


Durante a excitação sexual, o esperma e o fluido ejaculatório se acumulam nessas glândulas, contidos pelas válvulas dos dutos ejaculatórios. Quando a pressão do fluido atinge um limiar alto o bastante, as válvulas se abrem e o bulbo uretral se enche, disparando os reflexos ejaculatórios e as contrações musculares do orgasmo, o que esvazia as glândulas.

Vesículas seminais, âmpulas e próstata também podem ser esvaziadas através da massagem dessas glândulas por via retal. Massageando-se ritmadamente os órgãos, entrando e saindo com um consolo, é um dos métodos, mas talvez seja mais garantido usar o dedo médio sozinho ou em conjunto com o indicador, bem lubrificados, para aplicar uma massagem firme e suave sobre os nódulos das glândulas dentro do reto.A massagem vai forçar o fluido seminal e o esperma a passarem pelas válvulas para os dutos ejaculatórios, e esvaziar a próstata (que os despeja diretamente na uretra).

Se a excitação é lenta ou a estimulação peniana é interrompida por um breve período antes que se inicie a massagem prostática, a drenagem da uretra não produzirá orgasmo. Uma vez que a ejaculação atinja o meatus, pode-se esvaziar a uretra passando-se um dedo firmemente da parte inferior do pênis até a sua cabeça, empurrando o esperma para a frente.






Uma variação da masagem prostática que é bastante eficiente para limitar qualquer tendência ao orgasmo e as sensações prazeirosas da passagem do líquido através do dutos ejaculatórios e da uretra é a "massagem gelada": pelo menos 10 minutos antes da massagem prostática, sacos plásticos cheios de gelo picado são dispostos em torno do pau e das bolas, onde permanecem durante a ordenha. Quando a massagem se completa, os sacos de gelo são removidos. Esta técnica também se constitui uma oportunidade apropriada para se instalar um cinto de castidade no pênis encolhido. (Funciona melhor se o homem estiver amarrado: é difícil manter um homem quieto quando suas genitais estão congelando). Naturalmente, o maridinho não vai achar nada agradável ficar sem o pequeno prazer do orgasmo subjugado enquanto o líquido ordenhado é forçado a passar pelos seus dutos dormentes.

Uma camisinha pode ser usada para coletar o esperma, para que a Dona possa parar quando uma quantidade equivalente à de uma ejaculação normal tiver saído. Neste ponto, a massagem prostática terá terminado. A massagem prostática é bastante prazerosa, mas a maioria dos homens é incapaz de orgasmo sem alguma espécie de estimulação peniana. Uma vez que uma quantidade suficiente de fluido tenha sido drenada, restará um resíduo insuficiente para acionar o reflexo ejaculatório, e nenhuma estimulação peniana resultará em orgasmo antes que as glândulas tenham sido preenchidas novamente. Isto pode levar várias horas e até mesmo dias.

Tal técnica pode se usada para frustrar a masturbação masculina e o orgasmo, se aplicada em intervalos apropriados. Pode ser preciso fazê-lo uma ou duas vezes por dia, a não ser que o homem esteja usando um cinto de castidade. Machos aprisionados ainda precisarão ter suas glândulas drenadas em intervalos de algumas semanas, ou de até três meses, para evitar ejaculações noturnas com orgasmo. Com ordenhas prostáticas regulares, o alívio orgásmico pode ser negado a um macho por um tempo arbitrariamente longo sem qualquer efeito nocivo.

Quanto tempo esperar entre uma ordenha e outra é algo que deverá ser determinado experimentalmente. O objetivo é passar o máximo de tempo possível sem acionar polução noturna, já que o incremento na pressão do fluido aumenta a necessidade de impedir o orgasmo. Essa é a idéia, não é? O maior tempo que passei sem orgasmo na minha vida adulta foi um mês, ou coisa assim. Quando não tinha polução noturna, tinha ereções dentro de meu cinto de castidade, depois de dez dias ou coisa assim. Eu diria que seis semanas entre as ordenhas poderia ser um bom começo. Então, acrescente mais duas semanas a esse tempo, até acontecer uma polução (mas não passe de três meses). Também seria bom adicionar ao contrato uma cláusula na qual o maridinho deve confessar qualquer polução ou outro orgasmo espontâneo. Sugiro recomeçar o período de um ano de castidade cada vez que isso aconteça. Ele já teve seu orgasmo, e terá que esperar o período inteiro até o próximo.

Um meio particularmente eficiente de aumentar a sensação de frustração no macho pela negação do orgasmo entre as massagens é masturbá-lo até um ponto próximo ao orgasmo, e então instalar um cinto de castidade. Eu diria que isso triplica a necessidade de gozar. Se fizer isso, vai precisar ordenhá-lo com mais freqüência, talvez a cada duas ou quatro semanas. Após ordenhar, o ciclo pode ser reiniciado. Uma mulher que eu conheço masturba seu maridinho várias vezes por dia até quase o gozo, entre as ordenhas!






ORDENHE, FAZ BEM AO CORPO! TEM LEITE?

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

24x7* artigo - 1a. parte

24/7 quer dizer simplesmente 24 horas por dia - sete dias por semana.
Relacionamento a longo prazo.
O que não é tão simples, pois normalmente significa o desejo de um compromisso para o resto da vida ou uma relação com muitos ou a maior parte dos atributos que são familiares a todos nós na sua versão baunilha - o casamento.
Muita coisa na moderna comunidade D/s se assemelha ou copia a tradição.

Exceto pelo fato de que, de muitas formas, os parceiros mostram um nível de expectativa pelo relacionamento que tende a ser maior.

O que vemos hoje na comunidade é bem similar em certos aspectos ao que chamaríamos de um relacionamento "normal" há 100 anos - entendendo D/s como a Dominação que um parceiro exerce "sobre" o outro.

Há indícios de que as pessoas percebem a "integridade casual" do contrato de casamento tradicional nos dias de hoje, com seu freqüentemente limitado compromisso pessoal, e rejeitam a forma como a sociedade aparentemente aceita isso.
Este seria um dos motivos para o rápido crescimento da comunidade D/s, que estaria ligado à insatisfação de muitos com esse fenômeno.
As pessoas procuram força.


Muitos vêem fraqueza social nesse ambiente permissivo em que estamos, e desejam encontrar a "imagem" ou "substância" do tipo de comunidade ou segurança que acreditam que era normal na época de seus avós.

Com a mudança vem uma sensação de insegurança e uma inquietude interna.


Há com freqüência um forte sentimento de caos, ou, para o indivíduo, a impressão de estar perdido.
Do ponto de vista da mulher, tal alteração ofereceu uma liberdade até então desconhecida em termos físicos e financeiros, e com ela veio a ansiedade de não saber se o companheiro tem de fato a firme resolução de permanecer ao seu lado para o que der e vier.


Em muitos casos os homens tendem a ver essa nova liberdade como algo que diminui a sua responsabilidade de manter o relacionamento quando ocorrem problemas ou quando as coisas ficam difíceis.
Outro aspecto que não deve ser menosprezado é o crescente desejo, de ambos os lados, de experimentar o oposto da expectativa tradicional.


Para muita gente esta é provavelmente a primeira vez na História em que se torna relativamente aceitável explorar sentimentos que há 30 anos, se fossem expostos publicamente, poderiam arrasar a vida pessoal, a carreira e a reputação de alguém.


As respostas a estas mudanças são bem diferentes de acordo com o gênero: em muitos casos, submissas tendem a procurar ativamente a força do homem tradicional (mesmo em relacionamentos homossexuais); já os submissos parecem desejar abandonar esse papel e encontrar sua completude através de aspectos antes inexplorados de suas personalidades e do eu interior.

Somos todos o produto de milhares de anos de evolução, experimentação, mutação e sucesso.
O que hoje consideramos tradicional na verdade só passou a ser tradição há um período de tempo muito curto.

As tradições de hoje datam de menos de 2.000 anos, e a maior parte dos aspectos organizacionais do "macho dominante" e da "fêmea submissa" podem ser identificados como comportamento patriarcal imposto por organizações religiosas ou governos.

Sempre houve sugestões de que esse modelo patriarcal era "o" padrão da humanidade nas sociedades mais antigas e primitivas.

Entretanto, isso pode não ser tão correto quanto parece à primeira vista.

As tribos primitivas modernas, formadas por povos que se mantiveram afastados de qualquer interação com populações maiores, freqüentemente moldam suas sociedades sem o que consideramos estruturas patriarcais dominantes tradicionais.


Então, mesmo quando falamos, nossa compreensão da História humana continua a ser escrita e reescrita, à medida que somos forçados a considerar que o que poderia ser o modelo preponderante nos relacionamentos humanos é uma forma compartilhada de dominação, em que um parceiro domina algumas decisões e o outro domina as outras decisões, num esforço cooperativo para que a "família" seja bem sucedida.

Um olhar atento sobre nossas próprias sociedades mostrará que há evidências deste tipo de comportamento em virtualmente todas as culturas.

Muita coisa em D/s tem a ver com os desejos de quem observa do lado de fora.

Há a imagem de força, pureza, sensualidade, erotismo, a remoção de freios sexuais impostos de forma puritana, tudo isso acoplado a traços ideologicamente soberbos, tais como lealdade, honra, respeito, integridade, confiança, sinceridade e compromisso.


Viver de acordo com essa imagem é bem diferente, ou muito mais desafiador.
Tornou-se algo cinicamente aceitável esperar que os relacionamentos dêem errado.

A expectativa de falha oferece, de certa forma, uma rota de fuga mental do valor integral de palavras, votos e compromissos.


As pessoas "sabem" que, se houver um problema na relação conjugal, os amigos, a família e os colegas de trabalho balançarão a cabeça para mostrar que compreendem, e que ninguém vai perder sua reputação ou ficar sem ter como encarar os outros por causa disso.

Para o D/s funcionar, a palavra do indivíduo precisa ter sentido e valor.

Um dos fundamentos da relação é a confiança.

Se a sua palavra é fluida, você não pode estabelecer e sustentar esta confiança fundamental. Isso já basta para nos forçar a desaprender alguns hábitos baunilhas.
Alguém que ativamente quebra sua palavra ou seu juramento no meio D/s se torna inconfiável - e isso vale para Dominadores e submissos.


Sem a confiança fundamental, o relacionamento deixa de existir em qualquer tipo de estado positivo ou de crescimento.
Torna-se crucial revelar com clareza exatamente aquilo que se quer dizer, e ouvir atentamente para escutar exatamente o que o parceiro diz.


Muitas vezes somos ensinados a dizer não a verdade, mas aquilo que acreditamos que o outro quer ouvir.
A verdade pode ser dura ou cruel, mas ela é o fio da lâmina que provoca muito menos dano que aquele provocado por um falso verniz.

Honestidade é essencial.

Esconder ou mascarar qualquer coisa levará rapidamente a um emaranhado de problemas e na maioria dos casos a minar o potencial da relação.

Para que acreditem em você, é preciso que você construa sua credibilidade.

Se sua palavra for considerada fraca ou tênue, então você não obterá respeito, confiança ou valor. Muitos se atiram aos relacionamentos 24/7 com os olhos arregalados para suas potencialidades. Sonhos coloridos baseados em fantasias, delírios, expectativas irreais e idéias completamente diferentes daquilo em que realmente entram.
Reconciliar imagem e realidade leva algum tempo, muito trabalho e, normalmente, anos de esforço e comprometimento.

Desenvolver ou abraçar o todo de si mesmo não é uma coisa que vai acontecer dez minutos depois da primeira conversa numa sala de chat D/s ou no dia seguinte à primeira experiência real.
É um processo preenchido por lutas.


Um submisso que conheço descreve essa caminhada assim: "submissão é muitas vezes como uma insurreição, uma guerra constante contra mim mesmo, na qual se engajam meu desejo e minha força de vontade".

Submissão não é uma constante, não é algo que se escolhe e então se torna real a partir do momento da escolha.

Dominação também não é uma constante.


Sugerir algo assim nega a completude do eu interior.

Dominadoras sentem muitas vezes as fraquezas e vulnerabilidades pessoais, como qualquer ser humano.

Ser capaz de experimentar estes momentos abertamente, sem censura ou julgamento, é também parte de ser completo.

Muitas Dominadoras iniciantes acreditam que mostrar essas fraquezas fará os outros perderam o respeito por elas. Na verdade, é o oposto. Perder a vergonha é uma demonstração de força. Abraçar a inteireza do próprio ser é algo que fortalece e reforça o ego ou a plataforma em que se vive.

A relação 24/7 requer que ambos os indivíduos se concentrem no crescimento positivo.
Torna-se obrigatório desenvolver novas habilidades e flexibilidade pessoal para se adaptar aos desejos e necessidades específicos do parceiro.

É preciso remover de forma ativa e seletiva os hábitos baunilhas, tão arraigados, de reagir de acordo com expectativas.


Uma relação 24/7 não sobrevive a mentiras, desonestidades, juras casuais, ou qualquer demonstração de inconfiabilidade.

As ramificações do fracasso para um casal D/s costumam ser mais devastadoras do que as conseqüências similares em relacionamentos baunilhas.

Em geral, o investimento é mais profundo, especialmente se o casal D/s (como normalmente ocorre) se envolve com práticas SM.


D/s exige mais.

Os níveis de compromisso e responsabilidade são significativamente mais altos.

E, em conseqüência, também os desafios e desgastes, para qualquer um que se envolva ao longo dos anos que se seguem ao encontro inicial.

Tais relacionamentos não deveriam começar de forma ligeira ou casual.


O tempo não é um inimigo nesse caso.

Demore-se o quanto for preciso para investigar cuidadosamente todos os aspectos de seu parceiro em potencial antes de realizar qualquer movimento em direção a um laço mais profundo ou intenso, antes de considerar uma relação 24/7 ou de tempo integral.


* autor desconhecido, publicado no meu site em 2001

quinta-feira, 12 de novembro de 2009

Observando....



Bela, Senhor WZ e Reconhecimentos Públicos

Mensagem enviada por Bela em 11/11/2009 e postada aki com a devida autorização na mesma data, na medida do possivel e no desejo de cada um, solicito que escrevam para a revista dando sua opinião e pedindo mais e mais publicações SM e Fetichista. Segue o e-mail:

O Senhor WZ?

Bem...
Nem preciso falar, mas vou!!
Ele chegou bem de mansinho...
E conquistou com sua humildade, amizade e carinho o meu coração.
É um amigo querido.

Daqueles que não tem sol nem chuva..
As quintas-feiras do Dominna são dele..
Por puro merecimento.
Pura dedicação.
Fico muito feliz quando os amigos o apoiam indo aos encontros...

Pessoas dedicadas assim no meio são raras e merecem todo o nosso reconhecimento.
Foi assim quando a revista Playboy me telefonou pedindo uma indicação de um Bondagista.. Quem mais... Ele.
Já estava pronto para esse passo tão importante: o do reconhecimento.

E hoje ele recebe meus aplausos por tudo que conquistou por seu mérito.
Parabéns querido..
Que a Playboy seja a primeira de muitas outras.. Pois vc merece!
Não apenas ele recebe os méritos, mas toda a Comunidade BDSM e Fetichista.
Faça sua parte: Compre a revista e se possível escreva dando seu parecer e
pedindo mais e mais publicações Sm e Fetichista.
Todos nós ficamos muito felizes com tamanha consideração pelo Bondage Nacional!!!











terça-feira, 10 de novembro de 2009

CUIDADO COM O QUE PEDES....

... POIS PODES SER ATENDIDO.

Cada dia que passa fico com a sensação que nada muda...
que sou cada dia mais consciente de mim, do que sou dos desejos que tenho, da vida que quero
e como os que aki chegam, não sabem nada de si.
Sabem das punhetas que batem na noite, solitários,
sonhando com imagens e videozinhos que vêem pela rede,
imaginando que akilo é o ápice da realização do fetiche de uma vida.

Quanta besteira ...

Não estou aki para tripudiar sobre as fantasias dos outros.
Cada um bate sua punheta com a fantasia que bem entende.
Fantasia é apenas isto: uma fantasia.
Existem as que são para ser realizadas, tu compra uma roupa diferente numa loja especializada, uns acessórios, vai numa sexshop conversa com a parceira ou parceiro e depois de uma boa conversa: pronto!
Claro que tem algumas que não dá pra ser realizada assim tão simples, precisa de conhecimento técnico...
Uma Domme por exemplo...
Já é uma busca mais difícil, minuciosa, para que os desejos e fantasias de um, combine com os desejos do outro.

Tem submissos que passam anos procurando esta pessoa.
E num dia depois de buscar, observar, conversar e conversar, acha que encontra.

E encontra mesmo.

E como procede?
Conversa, conversa, faz tudo ou quase tudo o que já falei por aki, se faz acertos, negociações
Se cria expectativas...
Se mexe com desejos
Os desejos do sub, que parece ter encontrado o que finalmente procura
e os desejos da Domme, que parecer ter achado um submisso serio, interessante ao ponto de fazer ela, a Domme, abrir espaço em sua vida para ver a possibilidade de ter akela peça como sua.

Acontece um primeiro encontro para se conhecerem, saem ambos satisfeitos
e as coisas vão acontecendo...
Ela o Domina num primeiro encontro, num segundo, num terceiro....
e então ele se sente tão completo, tão realizado, vivendo seu sonho tão acalentado, que não estava preparado para que ele virasse realidade, e então...
Não suporta o peso desta realidade
Não suporta o peso de se sentir tão dormindo ( como ele sempre sonhou)
Não suporta o peso de ter uma Dona o controlando (como ele sempre quis)
Não suporta o peso do desejo que o consome mais a cada instante ( como ele também quis)
Não suporta o descontrole que sente, cada vez que a Dona esta por perto, pois sabe que ela o domina completamente, Ela sabe como aumentar ainda mais os desejos que ele sente e Ela consegue dar o alivio para este mesmo desejo. Um alivio tão intenso que é mais que um gozo, é mais que um orgasmo, pois ele nem sempre tem a permissão para tanto, mas mesmo assim o alívio só vem através das mãos d´Ela.
E só Ela.

E então ele teme.

Teme o poder que Ela tem sobre ele, um poder que o impede de raciocinar com clareza, onde só o desejo e tesão tem vez.
Ele teme este poder que ele sempre procurou mas nunca imaginou que fosse assim tão intenso, que o tirasse do controle da sua vontade, que naquele momento em que Ela o tem, ele perde todo o controle de si,
E ele não esta pronto para isto....
não esta pronto para se entregar, por mais bonito que seja o seu discurso, por mais maduro e centrado que pareça ser, não... não é isto que prepara um homem pra uma experiência de tal magnitude.

O que prepara um homem para viver algo assim é o desprendimento, é a confiança.
Não a confiança de que a Domme não vai machuca-lo fisicamente, mas uma confiança ainda maior: saber que a Dona não vai machuca-lo psicologicamente.

É o MEDO.

É isto que impede que este desprendimento aconteça.

O medo paralisa, enfraquece, empobrece a alma.
Mas mais do que qq coisa, o MEDO, faz com que o sub se afaste do que ele mais quer, que é servir a Domme que ele custou tanto a encontrar.
O MEDO o afasta dos seus sonhos e desejos,
por isto:

Cuidado com o que pedes, pois podes ser atendido.

Lilith Dumm
A mão que acaricia é a mesma que bate!

:)

segunda-feira, 19 de outubro de 2009

sábado, 10 de outubro de 2009

FEMINIZAÇÃO FORÇADA

Tem gente que se oferece como sub e coloca como pontes fortes de seus fetiches, inversão de papéis e feminização.

Quer deixar claro aki: Não tenho mais interesse por Feminização Forçada.

Salvo, claro meu delicioso fetiche por Homem de Calcinha.

Não tenho NADA contra Travestis, CrossDressers, Transexys e Drags claro, não posso esquecer, não tem haver com BDSM, mas tem haver comigo e qq outra demoninação que alguém se encaixe, até pq tenho amigas queridas em quase todas as classificações, com hormônio e sem hormônio.

Mas EU não vou aceitar nenhum CD ou sissy que se apresente para mim querendo ser feminizado. Não Me interessa mais.

Tem uma confusão no meio...

Quando comecei a dominar, na verdade antes disto, eu descobri o CrossDresser, e fiquei fascinada e fui estudar, pesquisar o que era... e já na época começada a ter uma confusão mesmo entre CDs, mas o que diz a literatura é que uma CrossDresser é um homem que gosta de se vestir de mulher, adora o universo feminino, mas não abre mão do seu dia a dia masculino, inclusive, CDs, e eu lembro bem desta parte, não se depilam, não gostam de homem, não tomam hormônio, muitas vezes são casados e suas esposas são suas companheiras nestas aventuras...

ISTO é ser CrossDresser, ser fascinado pelo inverso feminino passear por ele mas sem se tentar ELA.

Não é bem isto que tenho visto por ai e não sou eu que vou levantar bandeira defendendo um conceito....

Ma sissy é uma garotinha da sua DONA uma garotinha num sentido meio pejorativo esta era a definição que li a primeira vez que ouvi sobre sissy num site americano e com a dificuldade de quem nao le ingles, mas tem uma desejo doido de saber o que se passa, usando dicionários e tradutores online... ate achar um sub com um bom conhecimento de inglês ( que a Deusa permita que eles nunca me faltem risos ) entre 1998 e 1999 fui aprendendo sobre sissyficação e feminização forçada.

O que sei diz que a feminização forçada e a sissyficação são infligidos pela dona e não um desejo do sub, ou melhor quase uma exigência....

muitas vezes chegam de mansinho dizendo que querem fazer isto ou por akela roupa... ou sapato só para agradar a dona, não dando tempo se quer para pensarmos se queremos que este objeto vista tal roupa. Sem contar que as fantasias de muitos, vão muitas vezes alem dos meus desejos de Dona...

Tem alguns que se chegam se oferecendo que são tudo menos submissos.
Depois de muito me aborrecer e ate me machucar, resolvi que não vale a pena.

Não me interessa ser Espectadora da Feminilidade alheia.
Uma feminilidade que não foi eu que a induzi, nem tenho poder sobre ela...
Uma feminilidade onde não sou DONA, não me interessa...

Lilith Dumm
:)

segunda-feira, 5 de outubro de 2009

ESCRAVO E COLEIRA: CONHECIMENTO ABORDAGEM E OFERTA*

*Como Evitar Aborrecimentos: os Teus e Principalmente os MEUS!

Coleira ->
Um homem, para me servir, precisa de muito mais que o simples desejo.
Um escravo para usar minha coleira deve ter um desejo intenso de ser possuído, de pertencer a sua Dona. Não pode encarar isso como um fetiche ou uma fantasia que vai ser vivida ocasionalmente. Sei que existem outras dominadoras que aceitam escravos para viver apenas cenas, e que fora disso não querem nenhum envolvimento D/s, mas isso diz respeito ao estilo de cada uma. Não consigo conceber ter um escravo ao meu serviço por apenas algumas horas... se ele me pertence, então me pertence o tempo todo.
Uma relação em que fidelidade e obediência são absolutas.

Conhecimento ->
Não é fácil ser meu.
Mas também não é fácil pertencer a qualquer Domme que aprecia uma relação D/s intensa. Um escravo precisa se conhecer, e se conhecer muito bem.
Conhecer profundamente seus desejos, seus medos, suas fantasias.
E saber com clareza o que lhe dá prazer, porque só se conhecendo é que ele poderá buscar uma Domme.
Acho isso imprescindível, pois só assim o escravo terá condições de se aproximar de uma Domme e se oferecer.

É importante também que o escravo tente conhecer de imediato as preferências da Domme, para que não a faça perder tempo.
Veja bem:
se um escravo extremamente submisso, mas com baixos limites para dor, se oferece para uma Dominadora extremamente sádica, mas que não se interessa muito por submissão, por quanto tempo um contato desses poderá durar?
Tudo isso vai depender do tipo de relação que se constrói.

Abordagem ->
Uma coisa que me deixa profundamente irritada é a forma como o escravo se apresentam, ou fazem sua abordagem NADA sutil.
Fazem uma lista rápida do que gostam, quando fazem e saem me fazendo uma serie de perguntas, mas a mais importante que é saber se eu estou disposta a respondê-las. Não fazem.
E as perguntas são das mais descabidas...
Muitas vezes me sinto numa entrevista de emprego...
Fico olhando para a tela do computador, sem entender bem o que se passa, com cara de passagem...
Tento entender se realmente a pessoa por trás dakele nick é um escravo...
Se ele é um escravo bem intencionado; ou se ele é um esperto e mais, se ele acha que eu sou de faz-de-conta ou simplesmente uma tonta????
Nestes instantes que viro passagem olhando a tela ate respondendo com oi bom tudo bem sim sou Domme de Porto Alegre...
To pensando todas estas coisas, pq estou respondendo com atraso as msg quando é pelo MSN e de acordo com a seqüência desta conversa é que minha reação vai ser mais ou menos simpática, mais ou menos contundente.

Já me perguntaram de tudo.
Se eu mudaria um fetiche de um determinado tipo para outro semelhante, detalhe... Esqueceram de perguntar, se eu tinha akele determinado tipo de fetiche...
E mais, uma pessoa que eu nunca falei na vida, nem tc nada, como ela tem a petulância de perguntar pra uma DOMME se ela faria concessões para ter akela criatura que não sei nada, que se quer disse a que veio...
Que disse que gostava disso e dakilo que era bom sub... que tal e coisa...
mas isto...

TODOS FAZEM....

Cadê o diferencial
cadê o “se tornar interessante”
cadê a inteligência da abordagem... o instigar...
Já dizia o bom coiote de cauda longa e cinzenta, Peter Peter Parker : para cada Domme tem mais de 20 escravos se oferecendo...

Sejam INTELIGENTES:
- conquistem a Dommes que é do seu interesse e preferência;
- descubram tudo o que puderem sobre ela, o que ela gosta,
- sejam desejáveis,
- façam a diferença,
- seja o Melhor!

Se eu tenho várias ofertas e todos fazem uma péssima abordagem, claro que qq coisa inteligente e mais interessante, fora do padrão “ sim senhora sim senhora sim senhora “ chamar a atenção
Atá, pq, menos de 10 min este “sim Sra.” já foi por água a baixo e o sub vai estar mesmo dizendo a que veio...
Mostrando se a submissão é mesmo real ou imaginaria ou ainda dakelas que só duram em quanto durar o tesão...

Oferta ->
Cuidado....
Muito cuidado no momento da tua oferta como escravo/submisso...

Repito CUIDADO....
Não te esquece quem és.
És o botton, o submisso , o escravo que se oferece...

Tu já apresentou as tuas qualidades, tu já disse a que veio, tu já te vez interessante...
Não estraga tudo... dizendo que tu quer assim que quer asado...
Negociações e limites serão estabelecidos no momento certo...
Não vais inverter a ordem das coisas....

A Domme manda o escravo obedece....

E não o contrario... risos
E por incrível que pareça tem escravos que chegam aki se oferecendo dizendo o que eles querem... como querem e do jeito que querem....
Esquecendo de saber o mais importante....
Saber primeiro se eu o quero.

:)
Lilith Dumm

A mão que acaricia é a mesma que bate!

quinta-feira, 1 de outubro de 2009

O MEU DOMINAR

Li e ouvi tantas coisa nos últimos dias que ainda estou tonta...
Separei várias coisas para comentar...
Vi coisas aki que me deixaram triste

Outas que me fizeram sacudir a cabeça de pesar,
Outras que me deixaram contente por ver que nao sou a unica a pensar de determinda forma...
Até dei umas boas gargalhadas,
E ainda tini de irritação de outras cositas...

Então pensei, se eu for responder de forma pontual vou dizer coisas que posso me arrepender, fui buscar algumas coisas que já tinha escrito, outras escreverei especialmente para este momento.
De qualquer forma deixei passar um tempinho para baixar a poeira pois já que não posso olhar nos olhos de ninguém e não vão ouvir a docura da minha voz ao falar e ver quanto o tema me apaixona e por isso mesmo gosto de dar meus pitacos se as coisas não vao lá muito bem... principalmente quando vem diretamente na minha direção.

Entao resolvi falar sobre algo MUITO especial pra mim..
Que é o DOMINAR....
Aviso que se o tema não interessa muito pra alguns,
Nem se deem o trabalho de continaur lendo....
Não vou ficar magoada por isso...
pq só vou escrever sobre o que EU penso,
Mas nada... : )

Já tive muitos escravos virtuais e outros reais...
No tempo que eu frequentava sala de chats, tinha dias que as salas eram inundadas por nicks com _LD como coleira... isso já faz um tempinho (põe tempinho nisto, risos), aprendi muitas coisinhas nesses últimos anos e a mais importante delas, com certeza foi o respeito pelo ser humano que meu escravo é, não importando quem ele seja.


Meu escravo e alguém que veio até mim. por livre e espontanea vontade.
É alguém que se tornou meu pq aceitou meus termos, assim como eu aceitei respeitar os dele.
É meu escravo pq ele me da prazer e não importa aki a forma exata desse prazer, mas com certeza meu escravo é um ser que pensa e que tem uma vida fora da rede e longe de mim.
Ele estuda, trabalha, tem familia, amigos; ele tem um universo que não é o meu e vai continuar tendo mesmo depois que ele não for mais meu.

Meu escravo é um homem ou mulher que mesmo sem nenhuma experiência prática em BDSM é alguém que esta disposto a aprender, que vai se esforçar pra me agradar; que respeitando os limites pré-estabelecidos, vai fazer força pra nunca me decepcionar; é um escravo que sabe que a dor que eu lhe proporciono é uma forma de lhe agradar ja que ele é um masoquista ou que a humilhação que eu o submeto é um carinho, já que ele é um homem ou mulher extremamente submisso e seu prazer esta ai...

Eu sou uma Dominadora onde o sentimento de posse e tremendamente exacerbado, que se não sentir que o escravo me pertence, eu não conisgo aceita-lo como meu...

Que se eu não tiver certeza da fidelidade dele eu nunca vou reamente te-lo como meu...
Onde o meu sentimento de posse sao os PRIMEIROS 50% do meu prazer.
Os outro 50% são uma compinação de diversos elementos ligados TODOS ao BDSM.
Eu Domino e meu domínio não vem pela agressividade, vem pela doçura...

Meu chicote não é de couro mas sim é o som da minha voz que corta, não o corpo, mas a alma submissa do meu escravo...

É meu olhar que perde a ternura e a firmeza constante para se tornar duro e frio fazendo o corpo do meu escravo extremecer e diferente das outras vezes, nessa hora, não é de prazer...
O escravo ao se tornar meu sabe que eu sou a responsavel pela sua integridade física durante os jogos e pelo resto, fora dele...
Meu escravo é meu pq tem prazer na minha forma de dominar e muitos aki sabem o quão peculiar ela é.

Ao ser meu, meu escravo se entrega como nunca se entregou a ninguem, eu o conheço como ninguem mais o conhece, pq eu vislimbro sua alma, conheço os desejos mais secretos, os sonhos mais escondidos, os medos mais remotos, as vezes eu o conheço melhor do que ele a si mesmo...
Domino quem quer me pertecer, pq a consensualidade existe até mesmo quando não existe limites.

Uma relação entre EU, a Dona e o escravo, a propriedade, só esta assim estabelecida pq EU quero possuir e o escravo quer ser possuido, nossa relação existe pq a minha forma de domínio vem de encontro com a forma que o escravo quer ser dominado, NADA acontece na relação sem que seja de consentimento das duas partes.

No momento que um escravo usa a minha coleira, a coreira da Dona, a relação não é mais de duas partes distintas. Uma relação onde o dominio e a entrega de um e de outro é uma mesma coisa. São partes de um mesmo jogo e onde nao existe o consentimento de uma parte, nao existe jogo.

EU amo o que possuo...

E como Dona sou amada pelo que é meu.

aos que chegaram aki,

obrigada pela paciência e espero que todas as entrelinahs tenham sido visíveis

meu mais terno sorriso
: )


Lilith Dumm
" A mão que acaricia é a mesma que bate..."

quinta-feira, 24 de setembro de 2009

FACIL FACIL o que querem

Hoje tudo é fácil.
Tão fácil.
Tão fácil,
Que a qualidade escoa pelo ralo.

Antes era muito mais difícil, muito mais complicado e muito mais verdadeiro.
Que me perdoem os que se são da velha guarda e mesmo, aos jovem e ao novos que por estas bandas se descobrem, todos começamos um dia.

Eu também comecei e lembro bem como foi difícil e ainda o é, pq cada um que chega para servir é um começo novo.
A diferença é a seriedade com que hoje as pessoas tratam disso.
Minto.
Hipocrisia sempre teve e sempre caímos nela, em maior ou menor grau.
O que tem mais hoje, são usuários de internet.
E isto serve para tops e bottons; dominadoras e dominadores; submissos e submissas que acham que tudo é fácil...

Que tudo é só uma disculpinha pra uns @tabefes@ e umas @fodas facies@ como teria dito um velho conhecido e já há muitos anos.

Infelizmente as coisas não vão mudar, e eu também não.
Sou assim.

Quem quer me servir, quem me quer como Dona,
sabe exatamente o tipo de Senhora que o espera.
Se não gostou, procure outra.

:)

QUANDO..

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

SAUDADE


Senti hoje uma saudade de ti, como a muito não sentia.
Não saudade do amigo que és, mas do homem, da fêmea, do objeto, do brinquedo que nunca te negaste a ser para mim.

Uma saudade da tua pele branca e nua em contraste ao negro vinil daquela calcinha especial que certa vez colocaste apenas para me surpreender e me ver sorrir.
Claro que não foi o único efeito que causou em mim, mas acho que não estavas preparado para a força do efeito que a tua bunda, linda, com aquela única peça, rebolando exibido, provocante, rindo da minha surpresa pelo inusitado da hora e da peça, causaram. Realmente não foi o único efeito...

Vontade de te ver naquelas poses que fazias nas fotos absolutamente indecentes e deliciosas, que mandavas quando a distancia ficava grande e a saudade e vontade de te ter, te comer, te usar, eram tanto quanto a vontade que tinhas de me dar, de ser devorado e usado, que juntas eram ainda maiores que a distância daqueles dias ou destes dias ou ainda serias outros dias... já não sei...

mas sei que te ter, teu cheiro, teu gosto, tua boca...
aahh tua boca...
beijar tua boa é como possuir teu corpo
tanto chegar suave, lenta, mansa, doce que vais te entregando delicado, meigo com carinho numa oferta completa.
Como posso chegar sedenta, sem pedir licença, te invadindo cada pedaço, me apropriando da tua boca como me apropriei de ti.

Te beijar é assim, me faz sentir ainda mais tua.
Tua companheira de prazeres secretos, Tua Dona, aquela que te possui como ninguém mais. A que invade teu corpo como invade tua boca.
Que não teu beija, toma posse de ti.

Ahh meu doce...
tua voz arquejando, tua pele arrepiada, te penetrando, te comendo, de usando, meu gozo em ti...
minha mão na tua nuca puxando teus cabelos, trazendo tua boca pra mais perto da minha
e a outra mão sempre acariciando tua pele, tua bunda... deliciosa...

Vem,
Tua Dona te espera, não demora,
quero teu corpo como beijo tua boca

:)

segunda-feira, 21 de setembro de 2009

NEGOCIAÇÃO E OUTRAS COISINHAS

Apesar de já ter um tempo de praia, de saber exatamente o que fazer com um homem quando o tenho aos meus pés, o processo de dominar não é algo que acontece simplesmente pq eu quero, apesar disto ser já uns 30% pra começo de conversa.
Mas não faz o resto acontecer, nem garente o sucesso da relação, nem o da Domme.

Claro que pra um encontro eventual é fácil: se põe o sub de joelhos assim que ele chega, amarra, amordaça, usa o chicote, velas, coloca coleira e guia e faz rastejar pelo ambiente como um dog ou ainda usa-lo como montaria...
Depois prender novamente os pulsos, por de joelhos e a lamber chão/sapato/salto/sola/botas qq uma dessas coisas...
Deita-lo na cama com a bunda pra cima e meter um dildo ate a domme gozar e depois ir pra casa.

Pronto!
Ele nunca mais vai esquecer desse dia.
A domme vai ser considerada o MAAAAXXXIIMMOOOO!!!!!!!!

Isso se for pra uma única vez e nunca mais...
Pq dominar as técnicas, os jogos as cenas não é difícil.
Estudo, atenção, jeito...
Difícil é por uma pessoa interagindo com isto tudo...

Por isso entra a tal negociação, que muitos subs não tem paciência pra fazer.
a negociação não é só pra dizer que o sub não aceita agulhas, que é virgem ou que não quer ser marcado a ferro, nem comido por um consolo de 22x5.


Se notar ate agora só listei o que o sub relaciona na negociação protegendo sua parte; geralmente as dommes tendem a garantir a parte mais psicológica do jogo, como elas querem que o sub se porte ou que elas não abrem mão na relação, suas regras básicas de conduta.

Mas no fundo todo este processo serve mesmo para ela ver como funciona o submisso, o tipo de fetiche que o comove, que o excita, que o motiva.
O que dispara o gatilho da sua submissão, o que quebra isto e uma serie de informações e pequenas pistas que vão ser juntadas e usadas para que durante o jogo, ou a cena, ela a Domme faça toda a diferença.

Que quando se entre em cena e aki, falo da minha experiência, não posso falar da vivência de outras dominadoras, mas da minha, Eu sei o que Eu sou.
E neste instante sou Senhora absoluta com poder de levar ao Céu e Inferno.

Todos os sonhos e desejos estão se cristalizando neste momento para que a "cena" não seja apenas algumas horas de fantasia, mas a vivência de uma realidade concreta onde Eu uso o meu objeto de prazer, minha posse, meu brinquedo, da forma que melhor me convém.

Sendo com amarras ou chicotes, fazendo com que este brinquedo se sinta tão atordoado entregue e meu, que o fato de estar de 4, usando calcinha :) Apanhando, ou beijando meus pés, não faça diferença no tamanho do seu prazer em me servir e, que ele sinta isto de uma forma tão intensa, tão verdadeira quanto eu sei que ele me pertence inteiramente naquele momento.

A entrega e a posse tem que acontecer de forma que os dois Domme e sub sintam que a relação vai ser num crescente... pq ela não é completa na primeira vez, muitos ajustes vão acontecendo ao longo do caminho, mas não existe caminho se não houver chance de começo.

Alguns querem só brincar.

Perfeito.
Tem dommes que também só querem brincar.

Outras, nas quais me incluo, por relações serias continuas, pois eu acredito, que quanto mais se conhece um corpo e uma mente melhor se faz uso dela.
E o tempo aki é tempo e o uso não são inimigos.

E eu quero o máximo prazer pra mim.
Com isto, tenho certeza que meu objeto terá também sua cota proporcional de prazer.

Pois só se domina aquilo que se conhece.

:)

sexta-feira, 18 de setembro de 2009

DESVIO NA ABORDAGEM

Com muita frequência me chega uma oferta de submisso/escravo e esta oferta as vezes é simples, as vezes muito bem escrita, rebuscada.... Mas quase sempre vem com o mesmo desvio de conduta, digamos assim, pq lá no fim disfarçada ou muito clara, depois da oferta sempre com o pretexto de me conhecer melhor, querem saber se eu abriria desta ou dakela situação, fazendo esta ou akela conseção, se permito isto ou akilo...

Sempre, digo S E M P R E, em prol das fantasias e desejos do sub em questão, nunca dos meus desejos e vontades.
Nunca vi um podolatra dizer que abre mão da sua podolatria, ou a põe em quinto plano em detrimento dos MEUS desejos.
nenhum deles me ofereceu isto como presente de servidão.
Como fiquei afastada por um tempo, a fama do meu temperamento difícil parece que também ficou esquecida...
Não tenho um temperamento difícil.

Tenho personalidade. Uma ótima memória quando alguém tenta me enrolar e um arquivo que tento sempre deixar salvo tudo o que me convém no que se refere a SM, não para fazer uso indevido, mas para me proteger de submissos e escravos fajutos e sobre isto escreverei em outra oportunidade, prometo.

Mas voltando...
Perco a paciência quando um dito submisso perde a perspectiva do que é se oferecer
e ele chega aki, despeja meia dúzia de coisas básicas e quer saber o que eu faço e como eu faço e se eu faço assim ...

Bah guris não é assim que se joga...
vão dar uma voltinha na rede, vão no google, pesquisem sobre como negociações...
como se oferecer, tentem descobrir o que a domme gosta pra não dizerem besteira.
e também não prometam o céu pq é cascata, e não vão poder cumprir...
Nem tão ao céu, nem tão ao inferno...

Se vão mentir, mintam bem. Convençam...
Pq EU Sei o que EU estou fazendo.
Mas e vocês, sabem?

Como um submisso vai se oferecer para uma DOMINADORA e ele vem dizendo o que quer que seja feito???

Bom moço... anuncio de profissionais pra ti...
Pq o único lugar onde o sub diz como quer, é com uma dominadora profissional, e das mais ou menos, pq as boas mesmo, estas acertam antes os limites, como toda dominadora faz e depois, faz o que bem entende com o sub/pagante.

Porque uma Dominadora Profissional, mas dominadora de verdade, com código BDSM, merece TODO o meu respeito, e aproveito aki para dizer isto. Pq assim como entre as no-Pro não profissionais)como eu, existem muita dominadora ruim, sem preparação, e no meio profissional também as que Dominam com o BDSM no referência séria e estilo de vida.

Quando tenho um submisso, não significa que eu vou fazer com ele tudo o que eu quero, pq eu sigo ao SSC - SÃO SEGURO E CONSENSUAL - então pode ter coisas que na negociação com este sub, fique acordado que seja um limite e não será transposto, num primeiro momento ou nunca ou ate a revisão do contrato ou da negociação, caso o contrato seja verbal.

Repito, posso não fazer tudo o que quero.
Mas SÓ faço o que quero.
:)

quinta-feira, 17 de setembro de 2009

FETICHE POR ENEMA

Não faz muitos dias, eu estava numa conversa entusiasmada e comentei sobre as muitas formas de dilatação e uma delas poderia ser um tipo de enema seco, acabei publicando um texto aki com o mesmo nome, acho que me precipitei, ou deveria ao menos ter feito uma pequena introdução, que faço agora, pois tenho ouvido muitos comentários um tanto receosos a respeito da dita pratica.

O enema, também conhecido como lavagem intestinal, usado em procedimentos médicos ou ainda para preparação antes do sexo anal, também é um fetiche muito apreciado entre os mitos fetiches praticados, não só dentro do BDSM. Ele tem muitas conotações: alguns precisam introduzir a maior quantidade de agua que conseguem para depois ver quem faz o arremesso mais longe.... :)

Outra forma apreciada através da introdução da agua, ocorre a dilatação, fazendo a barriga ficar grande as vezes parece ate com uma mulher grávida, alem da sensação de estar completamente preenchido... das dores e do prazer que isto proporciona aos seus apreciadores....

O tipo de enema seco, se aplica principalmente para quem curte dilatação anal. e que já tenha uma certa pratica, não deve ser feito por iniciantes. mesmo em pequenas quantidades de água. Só se já tenha uma ótima pratica em enema convencional, se é que um enema pode ser chamado assim.

Fora isso...
É uma questão de se divertir muito com quem se esta brincando.

:)

sábado, 12 de setembro de 2009



QUANDO SOU BOA, SOU MUITO, MUITO BOA.


QUANDO SOU MÁ, SOU AINDA MELHOR .


Mae West








quinta-feira, 10 de setembro de 2009

Enema Seco - Técnica de Alargamento

Técnica de alargamento anal com água, consiste em introduzir água no interior de um preservativo dentro do ânus de seu parceiro.

Utilize-se somente de água limpa, pois sempre se lembre que o preservativo pode romper.
Para o método de alargamento anal aqui descrito será necessário primeiro um submisso a diposição, preservativos, e algum objeto para introduzi-los no ânus do submisso.

Os preservativos devem ser de boa qualidade, preferencialmente (mas não obrigatoriamente) os sem lubrificação.
Escolha uma marca de comprovada resistência.
Depois será necessário encontrar algum objeto comprido e fino, que servirá para introduzirmos o preservativo no interior do ânus do sub.
As escovas de dente são uma boa escolha, mas podemos utilizar colheres de cozinha (com cabos maiores e finos), escovas de cabelo, e qualquer objeto nestas características, lembrando que o conceito de fino vai da bagagem do sub.

Mas obrigatoriamente terá que ser um objeto que não exerça pressão quando colocado no preservativo de modo que possamos retirar o objeto, fazendo com que o preservativo permaneça no interior do parceiro.
Após ter escolhido o objeto, coloque uma generosa quantidade de lubrificante no objeto antes do preservativo e também dentro do preservativo.

Verifique se o mesmo está totalmente coberto pelo lubrificante de modo que não haja atrito entre o objeto e as paredes internas do preservativo.
Coloque o preservativo no objeto, desenrolado todo o comprimento (se o objeto escolhido for maior que o comprimento do preservativo).
Coloque então seu sub na posição que desejar, e introduza o objeto, com a menor quantidade possível de lubrificante.
É importante que não se use lubrificante além do mínimo necessário para conseguir introduzir o objeto.
Se consensual, a saliva é a melhor opção, ou mesmo sem lubrificante, afinal o objeto é bem fino. Introduza a maior profundidade que conseguir. Depois gire o objeto no interior do preservativo, para garantir a lubrificação interna.
Atenção ao introduzir o objeto no ânus do seu parceiro, pois preservativos foram projetados para objetos que irão esticar a borracha, de modo que ao usar um objeto muito fino, o mesmo pode enroscar (embolar) quando na penetração.
Nada que paciência e habilidade não resolvam.

Depois de concluída a penetração, retire o objeto do interior de seu parceiro, deixando o preservativo dentro dele.
Cuidado para que sobre uma parte do preservativo para fora, de cerca de 2 polegadas ( 5 cm ).
A sensação do preservativo no interior do ânus em si já é um bom castigo.

Pode-se criar novas cenas com somente esta parte da técnica, obrigando seu parceiro a ficar com o preservativo no ânus durante o dia todo, por exemplo, ou fazer compras com aquilo no rabo.
A colocação da água pode ser feita de várias maneiras, mangueira do chuveiro, qualquer equipamento tradicional de enema, frascos plásticos e que mais servir para tal.

Sempre é aconselhado algum meio de introdução que tenha suficiente pressão para que você possa ir ao limite da resistência do parceiro.
Vocês ficaram impressionadas com a quantidade de água que se pode colocar, sem que o preservativo se rompa.
Experimente encher um na torneira da pia.
Uma boa dica esta na temperatura da água, muito quente ou muito fria, podem aumentar ou diminuir a intensidade do castigo.
Caso queira que o parceiro permaneça com toda água durante algum tempo, feche o preservativo com fita ou um nó.
Se o volume de água foi grande, será impossível ser retirado o preservativo sem retirar antes a água.
Se tiver receio que o preservativo possa entrar totalmente no ânus do parceiro, coloque algo dentro do preservativo antes de fecha-lo que impeça, como, por exemplo, uma bola de ping pong ou maiores.

Texto traduzido por yan_LD
(plublicado originalmente no site br.geocities.com/lilith_dumm)

quarta-feira, 9 de setembro de 2009

Coisas Boas

Coisas boas...
Cada um tem algo que considera aquela coisa deliciosa...
Hoje vou falar de uma coisa que adoro...
Vou falar da posse e da entrega.
Nada de extraordinário...
Mas também não acontece com qualquer um, mas o prazer que tenho ao possuir um escravo que é meu, é muito especial.
Um escravo...
Um homem que se rende aos meus desejos...
E essa rendição quando é completa, é a gloria...
Uma delícia!Algo que me da um prazer muito mais que físico.
Minha alma sorri...
Humm...
A delicia que é ver esse homem, que se torna um objeto em minhas mãos, um desejo que se realiza, uma fantasia que não é mais fantasia mas, a mais pura realidade.

Um corpo que se entrega e se abre para mim...
Sentir meu objeto se moldando em minhas mãos.
Se transformando no que quero, para o meu prazer...
Um escravo que passa a ser chamado de minha de fêmea, de cadela, que o xingar se torna doce: uma puta safada (mas obediente) que se entrega a Dona, revelando os desejos mais escondidos, se entregando para o meu prazer...

O prazer de tratar um macho como se fosse uma fêmea. Minha fêmea!
Sentir o corpo tremer e arrancar um suspiro, cada vez mais forte, a cada toque meu...
A cada mordida que dou, cada tapa na bunda ou na cara, cada pegada mais forte...
Quando entrelaço maus dedos nos teus cabelos e puxo com força fazendo com que te incline mais...
Ou quando aperto teus mamilos e puxo com força em minha direção, exigindo que chegues ainda mais perto... beijando tua boca...
Beijando não, possuindo tua boca... pq meu beijo e mais que um beijo, é um ato de posse! Invadindo tua boca como se invadisse teu corpo.
Vasculhando todos os lugares, experimentando, tocando, sentindo cada recanto, sabendo que tudo me pertence.
Amarrando os testículos, pra depois passar a língua delicadamente sobre ele...
Sentir o frio do toque sabendo que por dentro ardes, amarrar teu pênis, para aumentar tua agonia lentamente...
Enfiar minha mão entre tuas pernas exigindo com um toque suave que te abras pra mim... és minha e meu, eu vasculho teu corpo cada recanto dele...
Tua bunda que agora esta lisinha, depois de um longo momento de puro prazer que tive para te livrar dos teus pelos, agora podes sentir minha mão, minha língua te tocando, acariciando e torturando de prazer e agonia...
Meus dedos úmidos de gel, entrando lentamente dentro de ti.
Sentir teu corpo cedendo lentamente ao meu toque, te invadindo ainda mais...
Abrindo caminho por onde meus brinquedos irão se aventurar mais tarde...
Fazendo tu descobrir através do prazer, porque és minha/meu, porque te rendes aos meus desejos e te entregas sem medo ou preconceito...

Sabes que o prazer que tenho contigo é tão grande quanto o que sentes ao te entregares a mim.
Se te faço gozar ou te proíbo o gozo, já não importa. Teu prazer está muito além disso, está em ser minha propriedade e me servir em minhas vontades, em te dar para que eu usufrua de ti extraindo meu prazer.

És minha agora e continuas sendo, mesmo que estejas longe, porque meu toque será muito mais que uma simples lembrança...

Lilith Dumm

"A mão que acaricia, é a mesma que bate..."


(Texto originalmente publicado na lista Inversão de Papéis com Dominação, em 3 de novembro de 2001 e posteriormente no site br.geocities.com/lilith_dumm)

Meu Antigo Site

Há tempos idos, tive um site que eu adorava, ele teve dois domínios, um pago que era www.lilithdumm.nom.br, mas teve tanta visita que nao teve como ficar no ar, então me alojei no yahoo, nas páginas do geocities, era geocities/lilith_dumm.
Ganhei o layout de presente de um submisso que me pertencia na época e que até hoje tenho um grande cararinho por ele.
E, como um bom sub deve fazer mas muitos não fazem (risos), ele sabendo que eu queria um site, pois na época não existia nada em português sobre inversão de papéis, feminização forçada, sissyficação, adestramento, castidade, ordenha, dilatação...
Enfim uma série de coisas que só em site de língua inglesa tinha.
Hoje tem em tudo que é lugar, imagens e infomações além da facilidade de tradutores on line, não que sejam muito bons, mas ajudam bastante, quando não se sabe de nada.
Tenho intensão de resgatar alguns dos textos que foram publicados no site na época por achar que ainda não foram ultrapassados.
E, para um site que saiu do ar, em junho de 2003, ainda tem muita gente que lembra dele, o que me deixa muito orgulhosa.
:)

sábado, 5 de setembro de 2009

Onde Vais?

Estava eu tc esta semana, numa magrugada insone com um guri aki de Porto Alegre e ele se queixava (como sempre se queixam todos os subs, esvavos e podolatras que conheci, desde que comecei a desvendar o universo BDSM), sobre a dificuldade de encontrar uma Dominadora séria, pois não conhecia lugares onde pudesse fazer isto.
Fiquei pensando...
Quando eu comecei tinhamos as salas de chat do zaz, hoje terra, estravamos na sala "fetiches" e depois das 22h era concorridíssima, se caia, não entrava mais, conexão discada, lenta, horrível...
Tinha também as salas do mandic - que só entrava o pessoal de SP, vieram então as salas do UOL e eu não gostava muito delas, tenha o ICQ que reinava absoluto, o messenger do yahoo que eu usava muito, o msn que era tão ruim que até o netmeeting era mais usado, imagina só!
O Yahoo foi pionero nisto que hoje são essts redes de partilhamento de fotos, eu não lembro bem o nome que tinha, o que antecedeu aos Grupos de Discussão, mas era uma espécie de álbum de fotos compartilhado dava pra por vários ábuns e se criava com o tema específico e criei um, acho que o primeiro sobre feminização forçada no Brasil, depois criei um de homem de calcinha... eles ficaram ativos até a extinção do serviço.
Então, criei a listas de discussão que substituiram os que tinhas como Dominação com Inversão de Papéis, também no yahoo onde no começo discutiamos mesmo sobre 0 tema. Hoje este grupo em perticular pertence a Rainha Deka e sua sissy ligia.
Havia outras listas sérias que tinham discussões interessantes e de peso. Não vou citar nenhuma dela, apesar de imaginar que algumas ainda esteja ativas, mas não estou por lá ou se estou é em modo web entao não sei o que esta acontecendo, volto a falar nelas no presente. Prometo.
Enfim... todo este saudosismo fiquei lá, como aki... lembrando... dando um monte de vontas e não chegando a lugar nenhum e como sempre faço quando quero me atualizar com algo que se passa no mundico SM, corro e chamo meu bom amigo subzero (sub para todas as ocasões, inclusive aplacar Dommes em plena crise de raiva pelo msn risos, pena que esta em BH), ao meu conselheiro para assuntos de sub e SM, fiz a pergunta:
- zero, onde vcs vão quando querem conhecer Dommes?
Orkut...
O bom ou não tão bom e não tão velho orkut...
Depois msn...
Ou seja, o bem e velho garimpo...
Bah...
Fiquei pensando... putz...
Tentativa e erro...
Como tudo alias, mas no orkut nada se mostra, nada se vislumbra...
Só um resqucio de luminosidade...
Ou um reflexo pálido do que vai na alma...
Isso pra quem tem uma e a deixa mostra...
PQ muitas vezes são só projesões do que talvez "eu-gostaria-de-ser-em-um-momento-ou-outro-na-minha-vida"...
E não, o que eu quero para a minha vida.
E relações SM são o que EU, Lilith Dumm, quero para a minha vida.
Mas querem todos a mesma coisa?

E tu? Onde vais para conhecer pessoas interessantes para, quem sabe ser uma pessoa especial?

:)

Fotos e Face...

Dia desses comentei aki, sobre procurar um lugar onde eu conseguesse postar fotos mais hards, e que talvez este lugar fosse meu perfil no orkut, mas já percebi que não será lá, a menos que eu queira ser deletada do orkut logo logo, o que não é o caso.

Então fui no fotolog criei um perfíl Lilith Dumm lá, mas percebi que não era o que precisava.

Que dificuldade...

As vezes tanta ofertar gera isto, a dificuldade de acharmos exatamente o que queremos.

Achei. Facebook.

Na verdade eu já estava por lá, mas como não sou de utilizar estas redes e ainda não sei exatamente como funciona para poder explorar o máximo que oferece.

Mas o Facebook parece ter exatamente o que preciso:

- Espaço e possibilidade de criar pastas com imagens e mante-las privadas, inpedindo assim o acesso de qq pessoa que não tenha interesse no assunto.

Vou enfim poder criar um espaço para conpartilhar as imagens que coleciono a tanto tempo, sem que tenha que criar um site, que dá um trabalhão e eu sei, pq já fiz um várias vezes ( sempre o mesmo risos).

Não vai ser aberto, pq além do registro no facebook, terão que ter a minha liberação, e o farei por álbum e área de interesse.

Isso evita que os pornográficos de plantão apenas aparecem pra dar uma olhadinha.

Nada contra a categoria...

Mas falo de fotos de BDSM e seus vários fetiches, o que sem sempre parece agradável aos olhos das pessoas, mesmo para praticantes de BDSM alguns fetiches provocam estranhesas...

Sinceramente espero que tudo de certo.

:)

Como não acho brasileiro com perfil BDSM por lá pra me dar uma ajudinha, vou na tentativa e erro, mas se uma "alma caridosa" ler este post e tiver um perfil por lá e quiser aparecer e dar uns palpites...

Juro que Dona Lilith, aki, não vai ficar nem um pouco aborrecida
;)

domingo, 30 de agosto de 2009

Fetiches e H. de Calcinha

Acho que posso considerar um dos meus primeiros fetiches, homens de calcinha, e é até hoje o principal deles.
Para cada tipo de homem tem um tipo certo de calcinha...
Quando falo aki em homem, me refiro particularmente aos submissos, refiro restringir a esta area de atuação :)
Se no universo BDSM já tem suas dificuldades, imaginem no mundinho baunilha...
Amplo de mais para minhas meras observações e, como não me interessam os homem sob um olhar baunilha...

Viva os submissos que se sujeitam aos caprichos e vontades de suas Senhoras e Donas, sejam estes caprichos vê-los usando calcinha ou uma sessão de spank.

Tudo sempre depende dos desejos da Domme.

As vezes estranho quando vejo tantas ofertas em sites, orkuts, links e mesmo pesquisas na internet.
Sou de um tempo, quando a inversão de papéis era um termo absolutamente desconheçido por estas bandas, e palavras como "sissy" só lembravam um filme da Romy Shimeinder.

Era um pouco complicado ter predileção por submissos que aceitacem isto e ir para salas de chat em aberto para fazer esta discussão.
Ser conhecida com a Dominadora que gostade de fazer os subs virarem gays, o que é um absurdo.

Ninguém "vira" nada. Você é, que você é.

Pode ser um submisso, uma sissy um CrossDresser e ser hetero e curtir tudo.
E ser homo ou bi e também ter estas preferências.
Ainda hoje vejo que o preconceito nos homens é muito grande.
Me procuram por causa da Inversão de Papéis e da Feminização Forçada, mas eles possuem, de um modo geral, um receio que eu - e imagino que qualquer outra Dominadora - os considere gay.
Cada uma de nós Dommes, temos nossas predileções de uso.
Cabe ao submisso descobrir a Domme que melhor cape em suas fantasias e tentar conquista-la.

:)